Óculos e sorvete

o9p

Eu amo esse seu olhar. Amo quando você me olha com esse misto de admiração e zombaria. Eu não sei se você sabe, mas você fica muito mais bonito assim. Talvez um dia um eu mencione como quem não quer nada, só pra você saber.

É engraçado porque mesmo quando estou de cabeça baixa ou olhando em uma direção oposta, eu sei quando você está me olhando desse jeito, eu consigo sentir seus olhos cravados em mim, eu sei que se eu virar de repente ou se eu apenas olhar para cima você vai estar olhando pra mim com o meu sorriso favorito. Porque eu já tenho um sorriso favorito.

Talvez seja cedo demais para ter um sorriso favorito, mas o que eu posso fazer? Nós já convivemos o suficiente para eu saber que você prefere chocolate amargo – embora não tenha problemas com chocolate ao leite – e que entre hot philadelphia e salmão skin, você fica com o skin. Já conversamos o bastante para você me constar suas desventuras e suas alegrias. Eu já te olhei o suficiente para decorar as marquinhas do seu rosto, já o toquei o suficiente pra saber que a sua pele está sempre quentinha e que de alguma forma, combina com a minha que está sempre fria.

Se eu fosse uma apenas uma expectadora ao invés da protagonista, tenho certeza que eu diria pra essa mocinha ir com calma. Mas eu sou protogonista, então eu vou me comportar como tal. Eu vou ficar deslumbrada quando você olhar pra mim, eu vou pensar em você quando escutar uma musica botinha e rabiscar suas iniciais na minha agenda como eu tivesse 12 anos.

E principalmente, eu vou deixar de lado todas as amarras e regras de relacionamento que as mulheres gostam de impor a si mesmas. Para que tentar me engana? Para tentar sufocar o meu coração se o mesmo dispara toda vez que você chega? É claro que eu não vou bater na sua porta amanhã e dizer as três palavras que podem mudar tudo, mesmo que a essa altura elas já estejam ecoando na minha mente, mas isso não quer dizer que eu não vá senti-las. Não quer dizer que eu vá me proibir de senti-las.

Anúncios

Dezenove

large (10)

É estranho escrever sobre você. Principalmente depois de jurar que nunca mais abriria a minha boca para dizer o seu nome ou sequer me permitir lembrar que você existe. Fiz um acordo comigo mesma, e nesse acordo eu apagaria a sua breve passagem pela minha vida. Talvez isso não seja justo e essa decisão tenha sido um exagero. Ou talvez você tenha sido idiota o suficiente para que eu sentisse essa necessidade, talvez você mereça.

Mas essa data me fez lembrar de você.

Que fique claro, isso não quer dizer que eu ainda goste de você ou algo do gênero, porque eu não gosto. Faz muito tempo que o meu coração não acelera por sua causa. Só que naquela época ele com certeza acelerava, e eu com certeza gostava.

Eu estava feliz por você fazer parte da minha vida. Era uma alegria exitante e tão obviamente com os dias contados que era difícil de controlar. Eu sabia que não ia durar, que fomos feitos para acabar, mas naquele dia foi fácil fingir que poderíamos dar certo. Eu quase cheguei a acreditar. Quase.

Estar com você naquele dia você foi imprudente, o coloquei acima de coisas que significavam muito pra mim, porque naquele dia, eu juro, você foi tudo. Éramos só nós dois naquele apartamento pequeno, a chuva caía lá fora e havia uma caixa de bombons na nossa frente. Você se lembra? Lembra como você sussurrou que me amava? Você se lembra como você fez parecer que eu era importante?

Nós dançamos aquela musica que eu odiava, e que de repente eu percebi que não era tão ruim assim.

Eu ainda me lembro de tudo. Eu estava lá, eu vi acontecer.

Porém eu também me lembro de quando os dias se passaram e de como você ficou distante. Lembro do dia em que muitas bandeiras vermelhas balançavam diante de um céu estrelado e que com um único gesto você fez tudo ficar cinza. Você acabou o seu teatro com chave de ouro, tenho que reconhecer. Sua atuação foi tão boa que quase conseguiu me enganar. Mais uma vez, quase.

Depois disso nós fizemos aquilo que estávamos fadados a fazer desde o começo: acabar. E eu segui em frente, fazendo o meu melhor para preencher o vazio, que eu percebi que no fundo não era tão grande assim. Levei um tempinho para recuperar a minha confiança, tropecei aqui e ali, mas finalmente a encontrei de novo.

E nesse dia eu decidi me permiti lembrar de você mais uma vez. Só para ter certeza do que eu não quero pra mim.